A FACE OCULTA DA GRAVURA DE HOJE

22 setembro de 2016 das 19.00 às 23.00 integrado na 7ª edição do Bairro das Artes

Inauguração de exposição colectiva de trabalhos impressos sobre papel e respectivas matrizes

até 29 de Outubro


A gravura, um antigo processo de impressão em papel, tem-se valido nos tempos que correm de técnicas que fazem uso de materiais menos nobres, menos onerosos e de mais fácil manuseamento. Das pesadas pedras da litografia e das chapas de cobre e de placas de madeira da xilo passaram-se para as chapas de zinco, para os linóleos e para toda uma cambiante de matrizes em plástico, cartão ou técnicas mistas e aditivas. A imaginação para a elaboração de uma matriz que dará corpo ao trabalho final em papel não tem limites e a desmultiplicação de resultados é infinita. Na presente exposição existe a possibilidade de observar as matrizes nos seus mais variados suportes, esta face oculta da gravura, lado a lado, com a impressão no papel. O cooperativismo dos gravadores que se reúnem em torno de uma prensa sem a qual o seu trabalho não faria sentido, permitiu o convite de diversos artistas de variados ateliers e oficinas de Lisboa como AguaForte (Ana Galvão, Fátima Ferreira, Margarida Lourenço), Contraprova (Artur Madeira, Daniela Crespi e Joanna Latka), Cooperativa Diferença (Inês Soares, Conceição Freitas, Joana Lacerda, João Pedro Cochofel, Manuela Serra, Nim Castanheira) e MArt (Ana Natividade).